Não é um sonho futurista, ela está aqui e agora. A realidade aumentada (AR) é a tecnologia de ponta que permite uma visão ampliada digitalmente, indo do mundo virtual e viajando para o real. Legal! Muito legal, mesmo. Ligando-o, o mundo, com o conteúdo mais significativo de nossa vida cotidiana. Com a câmera e os sensores de um Smartphone ou do Tablet, a AR adiciona camadas de informações digitais – vídeos, fotos, sons – diretamente em cima de coisas do mundo que nos rodeia.

O que é a Realidade Aumentada?

É o processo de sobreposição de imagens digitalmente postadas em nosso ambiente virtual, porém no mundo real, dando uma sensação de uma ilusão ou realidade virtual. Desenvolvimentos recentes tornaram essa tecnologia acessível através de um smartphone, tablet e outras parafernálias tecnológicas.

Como é usada?

A realidade aumentada é conteúdo oculto, mais comumente escondido atrás de imagens, que podem ser incluídas na mídia impressa e vídeos ou filmes desde que o marcador seja exibido por um período de tempo adequado, em uma posição estável de um aplicativo, para que este possa identificar e analisar. Dependendo do conteúdo, o marcador pode ter que permanecer sempre visível.

É utilizada mais recentemente pelos anunciantes para criar uma imagem 3D definindo um determinado produto. Como um carro, ou uma bola de futebol, e desencadeiam esta imagem como uma sobreposição de um marcador digitalizado. Isto permite que o consumidor veja uma imagem de 360 ​​graus do produto. Dependendo da qualidade do “zoom”, isto pode ir tão fundo como indicando o tamanho bem aproximado do produto.

Existem formas alternativas de enxerga-la, como na impressão de um marcador desde que fixado na imagem de uma webcam conectada a um computador. A imagem do marcador e o fundo como se vê pela webcam são mostrados na tela, permitindo que o consumidor possa deslocar o marcador para locais como a testa da sua namorada (criando assim uma máscara) ou o mover para controlar um personagem de um jogo.

Como funciona a Realidade Aumentada?

Usando um aplicativo móvel, a câmera de um celular identifica e interpreta a imagem. Muitas vezes representada por um código de barras em preto e branco, como um marcador. O software analisa o marcador e cria uma sobreposição de imagem virtual no ecrã do telefone móvel. Isso significa que o aplicativo funciona interagindo com a câmera para interpretar os ângulos e a distância especifica que existe entre o telefone móvel e o marcador.

Devido ao grande número de cálculos necessários a se fazer para tornar a imagem num modelo, muitas vezes apenas smartphones modernos são capazes de suportar a realidade aumentada com sucesso. Ah, outra coisa você tem que ter uma boa conexão de Internet, pelo menos 3G.

História

A realidade aumentada tem suas origens no início dos anos 1950 e foi progredindo e acompanhando a realidade virtual. Desde então, seu mais significativo avanço, ou salto, foi a partir de meados de 1990.

Esta tecnologia já existe há muitos anos, e é utilizada em programas de CAD, por exemplo, para montagem de aeronaves, simulando a navegação da aeronaves militares, e/ou procedimentos médicos, por exemplo. Só que sempre foi pouco difundida. Tarefas complexas, incluindo montagem e manutenções podem ser simplificadas com a finalidade de auxiliar no treinamento de protótipos.

A realidade aumentada tem sido comprovadamente muito útil no dia-a dia quando conectada a uma tecnologia de ponta, um belo exemplo são os radares de algumas aeronaves atuais. Vários aplicativos já estão disponíveis.

Sabe o que falta para ela se tornar viral, invadir nossos espaços!