Sempre que em uma conversa entre gamemaníacos surgir o tópico “a melhor plataforma para games”, dificilmente haverá consenso. Diga-se de passagem, para o bem de todos os que, realmente, apreciam a arte dos jogos eletrônicos, é melhor que não exista mesmo. Dessa forma, é natural que os jogadores se dividam entre “sonystas” e os outros.

Enquanto os primeiros defendem o idolatrado Playstation de todas as formas imagináveis, o segundo grupo pode ser composto tanto por quem não vê diferença entre o console da Sony e o da Microsoft (Xbox) e pelos seguidores ferrenhos do PC.

O fato é que existe espaço para todos e o que começa com uma discussão séria entre os jogadores acaba se tornando cômica e até divertida, tamanho o absurdo de alguns argumentos. Independentemente disso, confira quais são os atributos dos consoles da atual geração perante as verdadeiras máquinas nas quais se constituem os PCs mais modernos(veja um artigo apenas sobre isso).PC vs Console

Desempenho gráfico

Quando o assunto é games, os entusiastas demonstram uma grande preocupação a respeito da qualidade gráfica. Além disso, outro ponto que se tem colocado em debate nos últimos tempos é o FPS (Frames Por Segundo) que um console ou PC é capaz de exibir.

Recentemente, Tony Tamasi, que ocupa o cargo da vice-presidência da NVIDIA (uma das duas gigantes desenvolvedoras e produtoras de placas gráficas), soltou uma declaração polêmica sobre a performance de um PC em comparação com os consoles. De acordo com Tamasi, a qualidade gráfica de um console, mesmo que ele pertença à atual geração (PS4 ou Xbox One), jamais será equivalente à proporcionada por um PC que possua uma placa de vídeo produzida com tecnologia de ponta. Segundo o representante da NVIDIA, não só a sua companhia como a AMD (a outra gigante) investem quantias muito acima aos patamares da Sony e Microsoft, responsáveis pelos consoles Playstation e Xbox, respectivamente.

Discussões à parte e por mais que alguns defensores mais irredutíveis de console insistam em não admitir, o fato é que Tamasi não emitiu nenhuma novidade para quem acompanha todos os lançamentos do universo gamer.

Quando o preço fala mais alto

Se “sonystas”, jogadores de Xbox gamers e PC gamers não entram em acordo em relação ao desempenho, todos são unânimes ao afirmarem que os consoles são muito mais baratos. O que não significa, necessariamente, que consoles têm a melhore relação custo-benefício – como querem alguns. Afinal, isto é algo extremamente subjetivo e somente cada jogador sabe o que é ou não melhor para ele e quais são as suas expectativas.

Entretanto, é claro que existe uma discrepância de preços e valores. Para citar um exemplo bem nítido, basta lembrar o anúncio da Sony ao informar que o tão aguardado Playstation 4 seria vendido por cerca de R$ 4 mil em terras brasileiras. A esmagadora maioria dos “sonystas” se rebelou contra a companhia nipônica e se negou a pagar esse montante.

No entanto, curiosamente, não é raro encontrar os chamados PCs gamers sendo comercializados por estrondosos R$ 6 mil. Este é um valor aproximado quando se escolhe itens de hardware(entenda o que é) de última geração e que, assim, podem gerar um desempenho muito superior ao contido em um console. Existe até um notebook gamer da ASUS que custa algo em torno de R$ 14 mil.

Conclusão: muitos usuários de PC que não trocam a plataforma por nada às vezes se veem obrigados a adquirir um console por uma simples questão vinculada às vultosas cifras.PC e Console

Títulos exclusivos

Além do preço mais atrativo – ainda caro, mas indiscutivelmente atrativo –, os consoles possuem uma vantagem muito importante: os títulos exclusivos. E como se isso já não fosse motivo suficiente para convencer muitos fanáticos por jogos, os PCs ainda guardam a mancha de terem versões de jogos famosos sendo desenvolvidas com total desleixo pelos estúdios de criação. Isso desanima vários jogadores que, mesmo assim, não abandonam a sua plataforma preferida.

Cabe ressaltar que a preocupação dos estúdios apenas com os consoles tem lógica, já que existem contratos bilionários entre essas empresas. Em contrapartida, relegar o PC a segundo plano não parece ser uma atitude muito feliz, pois o número de seguidores é significativo.

Por fim, vale frisar que muitos gamers oscilam suas presenças no PC e no console, pois entendem que a jogabilidade de ambos é diferente e pode ser explorada através de diferentes perpectivas.