Como garantir que seus dados estejam seguros nas redes sociais

Privacidade on-line é um dos temas mais discutidos da nova década

A ideia de uma rede social on-line, acessível através da rede mundial de computadores, a Internet, existe há algum tempo. Em 1995, a ClassMates.com foi a primeira plataforma do gênero. Muito popular nos Estados Unidos e no Canadá, o usuário deveria pagar uma taxa para ter acesso ao sistema.

Com o objetivo de conectar amigos do colégio e da faculdade, a ClassMates.com tem uma história semelhante a de outras redes posteriores como o Orkut, que começou como uma plataforma interna para funcionários do Google, e o Facebook, que iniciou suas atividades com usuários da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Apesar de que, em alguma dimensão, as redes sociais sempre atingiram a vida pessoal dos usuários, só recentemente é que se tem discutido esse tema com mais disseminação. Isso porque só na última década é que o uso das redes sociais experimentou uma efetiva popularização. Redes sociais mais populares, como o Facebook, chegaram a 3 bilhões de usuários esse ano. O Instagram, que hoje em dia é, também, parte do Facebook, tem 1 bilhão de usuários ativos.

A utilização dessas ferramentas tem um preço: o compartilhamento de dados pessoais. O tema é tão urgente de ser discutido que existe, inclusive, o Dia Internacional da Proteção de Dados Pessoais, celebrado todos os anos, em 28 de janeiro. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você se atentar ao tema e aplicá-lo no seu cotidiano. Confira:

Termos de uso

Pouca gente lê, mas é importante entender os termos de uso antes de se filiar a qualquer plataforma e clicar no botão de concordar. Esses termos deixam claras as diretrizes de cada rede social e são essenciais para que se entenda a utilização dos dados fornecidos.

Configurações

A maioria das redes sociais tem configurações específicas de privacidade e compartilhamento. No Instagram, por exemplo, é possível criar uma lista privada que recebe o nome de “Melhores Amigos”. Esse recurso permite que somente quem esteja nessa lista visualize alguns stories específicos. O Instagram ainda permite que você silencie perfis de seguidores que não quer que vejam suas postagens no recurso de stories.

Já no Facebook, é possível configurar a privacidade de álbuns inteiros de fotos e até das postagens. Da mesma forma, pode-se criar uma lista e dar permissão para que apenas os usuários presentes nela visualizem o conteúdo postado.

Recebimento de mensagens não solicitadas

Para criar uma conta em qualquer rede social, é necessário ter um e-mail. Geralmente, você receberá uma mensagem das plataformas informando que a conta foi criada, além de uma confirmação de que a senha foi trocada ou notificação sempre que acessar sua conta de um novo dispositivo.

Essas mensagens são comuns e garantem a segurança do seu uso. Ao contrário, porém, mensagens que te pedem senhas de cartões ou dados pessoais incomuns não devem ser respondidas. Se tiver dúvida, contate o suporte oficial da plataforma e pergunte se o e-mail que você recebeu é legítimo.

Senhas

Uma regra super simples é não optar por senhas fáceis e óbvias. Datas de aniversários, números relacionados a endereço, ou nome do cachorro, devem ser evitados. Uma senha segura mescla letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais. Isso vai garantir que somente você acesse sua conta.

Utilizando computadores públicos

Idealmente, deve-se acessar os perfis das plataformas de redes sociais apenas através de computador pessoal e celular. Essa dica, porém, pode não funcionar para algumas situações específicas. Nesses casos, algumas regras bem simples podem ser aplicadas.

Reduza a quantidade de conteúdo compartilhado, tente não salvar fotos pessoais em computadores que não sejam seu e jamais compartilhe dados bancários. Após utilizar o computador, lembre-se de fazer o logoff de sua conta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.