No mercado atual, é possível encontrar uma imensidade de opções no segmento da informática. Desktops, notebooks, netbooks, ultrabooks e tablets superpotentes que chegam a ser comparados com computadores portáteis, cada um configurado de maneiras diferentes e adequados para diversas necessidades e gostos.

Uma coisa em comum todos eles têm: a intenção de oferecer praticidade e inovação para o usuário, e essa também é a característica principal dos computadores all-in-one.

Mas o que é um computador all-in-one?

Se você ainda não conhece essa categoria de computadores, bastam poucas palavras para entender o seu conceito. Os all-in-one são literalmente o que o nome significa: “tudo em um”. Ou seja, são uma espécie de desktop em que os componentes vêm instalados no próprio monitor, e não em gabinetes separados como nos tradicionais computadores de mesa. Desta maneira, os computadores all-in-one dispensam os inúmeros cabos, trazendo mais praticidade e facilidade de manuseio, sendo mais fáceis de serem instalados em qualquer lugar.

O que é um computador all in one

Mas essa ideia não é novidade. Na verdade, o conceito foi muito explorado ainda nos anos 90 pela gigante Apple, com o iMac, que não encontrou uma forte concorrência na época, já que as empresas que representavam esse segmento decidiram não se arriscar com esse formato de computadores. Por isso, a Apple acabou se tornando a empresa mais conhecida por essa arquitetura.

Mas é agora que os all-in-one estão voltando com toda a força, com modelos de empresas como a Sony, HP, Positivo, a própria Apple e outras grandes empresas de informática, que tornaram o modelo uma alternativa viável para os desktops. A grande evolução da tecnologia nos tempos atuais permitiu que essas máquinas possuíssem recursos muito mais modernos que as produzidas na década de 90, como periféricos sem fio, displays touchscreen, e maior qualidade de som e imagem. A praticidade de ter tudo que um computador precisa em seu monitor pode passar a impressão de que as configurações dos all-in-one deixam a desejar, mas isso é mito.

Quais são as vantagens dessa arquitetura?

Vantagens de um computador all in one

Além de a instalação dos próprios em sua casa ou escritório ser muito mais simples, os all-in-one ainda contam com drive de DVD, entradas USB, leitores de cartão de memória, ponto para cabo de rede ou modem banda larga, e alguns modelos ainda oferecem entradas para antena de rádio FM e televisão, podendo ser controlados por um controle remoto que facilita ainda mais na hora de assistir algum filme, por exemplo. Existem ainda modelos mais completos, com tela de 21 polegadas, disco rígido de 1 terabyte e display touchscreen, que torna a experiência muito mais interativa. Além disso, os computadores vêm com teclado e mouse sem fio.

Levando isso em consideração, não há qualquer grande diferença quanto ao desempenho de um desktop comum para um all-in-one. O grande diferencial deste é, na verdade, o fato de as placas serem integradas – como é feito na maioria dos notebooks -, e também de ocupar menos espaço. Os usuários ainda podem se sentir mais atraídos pelo design desses produtos, já que possuem um visual mais moderno e hi-tech, uma das vantagens dos all-in-one. Por outro lado, o custo destes produtos é muito maior que o dos computadores tradicionais, além de a manutenção se tornar mais complicada quando necessária, que acaba afetando sua durabilidade.

Sendo assim, um computador all-in-one traz as mesmas vantagens que um desktop comum, pois as configurações tendem a ser muito parecidas em ambos os modelos. A decisão de um por outro vai depender da necessidade do usuário, bem como do seu perfil. A verdade é que há tantas opções ótimas de all-in-one no mercado quanto de desktops comuns.

Mas agora que você já sabe um pouco mais sobre essa categoria de computadores, qual você prefere: um PC tradicional, ou um all-in-one?

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

1 + 11 =